contact@aopi.org Friday - December 14,2018

Dificuldades orçamentais em Angola vão acelerar introdução de reformas


Dificuldades orçamentais em Angola vão acelerar introdução de reformas

As dificuldades orçamentais de Angola são uma oportunidade para que o governo acelere a introdução de reformas, afirmou o analista da agência Standard and Poor’s (S&P) que foi o principal autor do relatório de Fevereiro que desceu a notação de risco de Angola.

Benjamin Young disse à agência noticiosa Lusa que as dificuldades presentes podem levar à introdução de alterações estruturais do lado da despesa e adiantou que o trabalho das autoridades angolanas com o Fundo Monetário Internacional na reforma dos subsídios, nomeadamente dos combustíveis, “é disso um exemplo.”

Young disse ainda que a S&P “acredita que o sucesso deste tipo de medida orçamental [a reforma dos subsídios aos combustíveis] vai aumentar a capacidade do governo de apoiar os planos para a diversificação económica.”

O equilíbrio das finanças públicas tem sido uma das preocupações do governo de Angola, que prevê um défice orçamental de 7% do PIB contra os 7,6% inicialmente previstos e reduziu a previsão de crescimento da economia de 9,7% para 6,6%, ainda assim mais optimista do que qualquer das instituições económicas mundiais que seguem o país.

Face à queda das receitas fiscais, o governo de Angola tem contraído empréstimos junto de várias entidades, num montante que já superou 2 mil milhões de dólares, que vão desde o Banco Mundial até ao sul-africano Standard Chartered, passando pelo Goldman Sachs e a Gemcorp.

Fonte: Macauhub

COMENTÁRIOS