contact@aopi.org Thursday - December 14,2017

Gasolina deixou de ser subsidiada em Angola


Gasolina deixou de ser subsidiada em Angola

A venda de gasolina em Angola passou a ser feita no regime de preços livres, pondo termo à subvenção estatal, ao abrigo de um decreto em que o Ministério das Finanças anuncia aumentos até 29% nos combustíveis, informou a agência noticiosa Angop.

Em consequência, a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) fixou em 115 kwanzas o preço do litro da gasolina a ser praticado a partir das 23 horas da passada quinta-feira, contra os 90 kwanzas anteriormente cobrados.

Este aumento dos preços dos combustíveis, o terceiro desde Setembro passado no quadro de um conjunto de medidas económicas imputadas pelo governo à queda do preço do barril no mercado internacional, fez com que o preço do litro de gasóleo tenha registado um aumento de 25%, passando de 60 para 75 kwanzas, com o Estado a subvencionar 21,06% do preço.

O preço do quilograma do gás doméstico passou de 45 para 55 kwanzas, o que representa um aumento de 22%, com o Estado a continuar a subvencionar 67,15 por cento do custo e o litro do petróleo iluminante registou um aumento de 29% (passou de 35 para 45 kwanzas), sendo que o Estado continua a subvencionar 44,41% do preço.

Em comunicado, o Ministério das Finanças enquadra o novo ajuste dos preços dos combustíveis na estratégia da melhoria da qualidade da despesa pública e sublinha que o presente ajustamento permitirá ao governo obter margem para assegurar a sustentabilidade da política fiscal e garantir o financiamento das acções relativas aos objectivos do Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017.

O anúncio assinala que, desde Outubro de 2014, as medidas de ajustamento dos preços dos combustíveis produziram já poupanças de 110 mil milhões de kwanzas, permitindo ao governo cobrir de melhor forma a despesa pública num ambiente adverso da baixa da receita petrolífera provocada pela oscilação de preços no mercado internacional.

Fonte: Macauhub

COMENTÁRIOS