contact@aopi.org Wednesday - December 13,2017

Banco Mundial nomeia representante residente para Angola e São Tomé e Príncipe


Banco Mundial nomeia representante residente para Angola e São Tomé e Príncipe

O Banco Mundial (BM) nomeou a economista moçambicana Clara de Sousa para o cargo de Representante Residente para Angola e São Tomé e Príncipe, com residência em Luanda.

"É para mim um grande privilégio poder contribuir para os esforços que Angola e São Tomé e Príncipe estão a levar a cabo para reduzir a pobreza e criar condições para que a prosperidade nestes dois países seja melhor partilhada por todos. Estando baseada em Luanda, terei oportunidade de seguir de perto o evoluir das situações dos dois países e assim dar continuidade ao trabalho iniciado pelos meus predecessores, mobilizando os especialistas do Banco Mundial espalhados pelo globo que melhor possam responder as necessidades de assistência que as autoridades dos dois países nos colocarem", disse a representante residente à sua chegada.

De acordo com uma nota de imprensa do BM, Clara de Sousa possui um doutoramento em Economia pela Universidade de Warwick no Reino Unido, um mestrado em Economia Quantitativa do Desenvolvimento pela mesma universidade e um mestrado em Economia Internacional pela Universidade de Sussex, e tem cerca de duas décadas de experiência de trabalho em política fiscal e macroeconómica.

Ingressou no BM em 2005 como Economista Sénior no Departamento de Políticas Económicas para a Região da América Latina e Caraíbas e desde então desempenhou várias funções de relevo na instituição e em várias partes do mundo, sendo a mais recente a de Economista Sénior na Vice-Presidência para o Desenvolvimento e Finanças.

Antes de entrar para o Banco Mundial , Clara de Sousa foi administradora no Banco de Moçambique, além de directora e professora da Faculdade de Economia da Universidade Eduardo Mondlane em Maputo, Moçambique.

Fonte: Portugal Digital

COMENTÁRIOS