contact@aopi.org Wednesday - December 13,2017

Exportações angolanas caem para metade até março e importações disparam 65%


Exportações angolanas caem para metade até março e importações disparam 65%

O encaixe com as exportações angolanas caiu quase para metade no primeiro trimestre de 2015, para 6,6 mil milhões de euros, enquanto as importações dispararam 65 por cento, agravando a balança comercial.
Segundo o relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE) de Angola relativo ao comércio externo do primeiro trimestre do ano, consultado hoje pela Lusa, a balança comercial angolana registou um saldo positivo superior a 237.425 milhões de kwanzas (1,7 mil milhões de euros), uma quebra homóloga de 78%.
Os resultados, reconhece o documento, são influenciados pela crise da cotação internacional do barril de crude, principal produto das exportações de Angola, que desceram neste período 41,9%, para 878.483 milhões de kwanzas (6,6 mil milhões de euros).
No sentido contrário, as importações dispararam entre janeiro e março para 641.059 milhões de kwanzas (4,8 mil milhões de euros), indicam os dados do INE angolano.

Os combustíveis representaram 96,5% das exportações angolanas no primeiro trimestre, com 848.152 milhões de kwanzas (6,3 mil milhões de kwanzas), encaixe financeiro que se reduziu em 42,7% face a 2014, apesar de a quantidade até ter aumentado (maior produção).

O segundo produto de exportação é referido como proveniente do setor agrícola, mas representa apenas 0,1% do total, com 648 milhões de kwanzas (4,8 milhões de euros).

Em contrapartida, Angola importou neste período produtos agrícolas no valor de 44.198 milhões de kwanzas (331 milhões de euros).

Maquinarias e outros aparelhos industriais foram os produtos mais importados por Angola entre janeiro e março, ascendendo a 247.969 milhões de kwanzas (1,8 mil milhões de kwanzas) de compras ao exterior neste período, um aumento homólogo de 187%.

Fonte: RTP

COMENTÁRIOS