contact@aopi.org Tuesday - December 12,2017

Questões organizativas travam repatriamento


Questões organizativas travam repatriamento

Segundo as autoridades locais, a interrupção do processo de repatriamento deve- se à questões organizativas por parte das autoridades governamentais da RDC.

Desde o início da segunda fase do processo de repatriamento, a província do Zaire já recepcionou mais de dois mil regressados a partir do posto fronteiriço do Luvo, 60 quilómetros a norte da cidade de Mbanza Congo.

Referia-se: Mais de 15.500 refugiados angolanos na República Democrática do Congo (RDCongo) regressaram ao país nos últimos meses, no atual processo de repatriamento voluntário.

Esta operação de repatriamento, desenvolvida em conjunto com o Governo da RDCongo e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), deveria ter sido concluída até final de 2014 e previa o regresso de 29.659 pessoas.

As Nações Unidas conta com fundos de 1,7 milhões de dólares, assegurados também por doadores internacionais, mas o aumento do número de refugiados obrigará a um reforço orçamental, face à logística necessária.

Fonte: Novo Jornal

COMENTÁRIOS